Press "Enter" to skip to content

OS HERÓIS DE MALACA NUNCA MORREM!!!

Rate this post

A mitologia ensina-nos que os heróis  estão entre os deuses e os homens comuns.

Felizmente, apesar de uma crescente desumanização nas relações sociais, vão sempre aparecendo exemplos de heróis. E um desses exemplos está na Malásia: os Heróis de Malaca que nunca morrem.

Apesar de nunca ter estado no Oriente, esse grande espaço geográfico sempre   fascinou-me.

A principal fonte foi e continua a ser a História de Portugal. A outra foi a primeira viagem de circum-navegação do NRP Sagres, mais conhecido por Navio-Escola Sagres contada pelo meu pai que foi abordo. Foram 10 meses de contemplação com a História e de aventuras.

Nessa viagem à volta ao mundo, o Navio-Escola Sagres também parou em Malaca, onde Noel Felix e os outros Heróis de Malaca cantaram e dançaram o “vira-vira” e outras músicas do folclore português.

É impressionante que ao fim de mais 5 séculos de ausência de ajuda eficiente por parte do Estado português para auxiliar os Heróis de Malaca a manterem a cultura e as tradições lusas por terras da Malásia, eles lá vão conseguindo os seus objectivos.

Devido às histórias que o meu pai contava-me, há cerca de 10 anos procurei pela internet alguma associação de amizade que tratasse  sobre a herança portuguesa no Oriente, mais especificamente sobre Malaca. Tive muita sorte, e lá a encontrei: Associação Cultural Coração em Malaca (ACCM).

Primeiramente contactei a Cátia Candeias, que em 2009 era bolseira do Instituto Camões em Malaca, que prontamente remeteu o meu pedido de contacto para a sua simpática presidente Luísa Timoteo.

2009 é um ano muito importante para mim, pois foi o ano do lançamento da Raia Diplomática em formato impresso, e um dia combinamos eu e a Luísa que tomassemos um café junto à sede do Instituto Camões em Lisboa, juntamente com o grande Noel Félix.

Este Herói de Malaca estava concretizando um dos seus sonhos: visitar finalmente a terra dos seus avós!

Tivemos tempo para tomar uma bica num bar ao lado do Instituto Camões, e o grande Noel Félix lá me elucidava sobre o quotidiano Bairro Português de Malaca (the Portuguese Setlement).

Na nossa conversa houve duas coisas que marcaram-me muito pela sua simbologia.

A primeira, foi quando perguntei se o dilalecto que falava os descendentes dos portugueses em Malaca se chamava Kristang. O nosso Herói de Malaca respondeu-me muito firmemente: “Não! Nós não falamos Kristang, nós falamos português muito antigo, o português de Malaca!” Estava explicado!

Já no final do nosso agradável diálogo, perguntei com muita curiosidade ao nosso herói de Malaca: “mas Noel se a Comunidade Portuguesa de Malaca não tem o apoio necessário do Estado português, que já há vários séculos abandonou as terras de Malaca, porquê continuam a preservar a cultura e a herança portuguesa”. Então o nosso grande Noel respondeu-me em inglês com um olhar penetrante e solene “because we have proud to be Portuguese”.

A natureza e preserverança destes Heróis de Malaca eram expressadas pelo testemunho de Noel Félix.

Na primeira edição da Raia Diplomática em 2009, Noel escreveu o seguinte “Esperei sempre visitar Portugal a minha Pátria de sangue, mas não pensei ser muito gabado por todos os meus irmãos e irmãs. Visitei muito Portugal e criei muitas amizades em toda a parte por onde passei. Tudo vai gravado no meu coração e contarei quando chegar. Portugal nação bonita e gente muito alegre. Tal como no Bairro Português de Malaca, católico, gente alegre e de paz. (…) Agradecer todo o passado que queremos manter e continuar a pertencer (…) Queremos que as futuras gerações não se dispersem nem acabem(…) É urgente  criar uma escola portuguesa, ensinando a língua portuguesa, e manter também a língua mãe crioulo de origem portuguesa (…) todos nós o desejamos. Vou partir com as lágrimas no coração, mas vou chegar realizado. Muito obrigado a todos e que Portugal seja sempre abençoado.

Noel Félix já não está entre nós, mas são heróis como ele que o mundo necessita. Seja para criar um novo nível nas relações entre Portugal e a Málasia, através de um soft power muito esmerado ou para passar o seu testemunho às novas gerações.

Mas a mensagem dos Heróis de Malaca vai muito além da estimulação de uma  relação bilateral, ela é antes de mais uma mensagem universal para o progresso do povos.

É a Noel Félix e aos Heróis de Malaca que dedico o lançamento oficial da Raiadiplomatica.info.

Bruno Caldeira

 

 

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *