Press "Enter" to skip to content
Turismo homossexual português

TURISMO HOMOSSEXUAL PORTUGUÊS PRESENTE NA FITUR

Pela primeira vez, o turismo homossexual português estará presente na Feira Internacional de Madrid (FITUR) que começa hoje termina no próximo dia 27 de Janeiro.

Portugal contará pela primeira vez com espaço dedicado ao turismo homossexual, onde apresentará os seus produtos e serviços, e bem como a marca Proud Portugal.

Para além de Portugal, também a Tailândia, o País Basco e a cidade de Nova Iorque farão a sua estreia no espaço dedicado ao turismo homessexual: a FITUR Gay.

Em termos económicos segundo informa a FITUR Gay, o turismo LGBTI gera cerca de 10% de todo o turismo mundial no que diz respeito ao número de turistas, e 15% do volume gastos anuais, com 185 mil milhões de dólares.

A ILGA Europe, a associação europeia para a defesa dos direitos das lésbicas, gays, bissexuais e transexuais, elabora todos os anos um relatório para avaliar o índice de “gay friendly” na Europa: Rainbow Europe.

Os resultados de 2018 do Rainbow Europe Index Map revela que Portugal e Espanha estão no TOP 10, numa avaliação de 49 países sobre  as leis e as políticas que afectam a comunidade LGBTI.

Portugal está posicionado no 7ºlugar com 69,16%, enquanto Espanha posiciona-se dois lugares acima, no 9º lugar com 67,03%.

Todavia, as perspectivas actuais para Espanha continuar como um dos principais países europeus que promove a cultura “gay friendly”, pode estar em causa com a subida exponencial da extrema-direita política do VOX.

Para os extremistas do VOX a comunidade LGBTI é considerada com algum desdém e que deve ser discriminada em relação à família tradicional.

Com a entrada fulgorante do VOX no parlamento andaluz os ataques à comunidade LGBTI são cada vez mais insistentes e despreciativos.

Assim durante as negociações com o Partido Popular para permitir a eleição do novo governo autónomo andaluz, defendía no famoso documento de 19 pontos “a eliminação das leis andaluzas contra a  violencia machista y contra a discriminação LGBTI” 

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.