Press "Enter" to skip to content

O CONTEXTO HISTÓRICO NA VIDA DE KEYNES (III)

Rate this post

A afluência em massa aos teatros e cinemas, a idolatarização de novos heróis, o consumo exagerado, a superprodução, o desequilíbrio na distribuição da riqueza e a especulação bolsista foram os ingredientes necessários para a crise mundial que se adivinhava.

Porém, a crise de 1929 se iniciou na bolsa de Wall Street, em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América, e propagou-se por todo mundo, e com as dificuldades latentes do pós guerra, originando o recuo das democracias perante os regimes autoritários, que vingaram na Europa, sobretudo o fascismo de Mussolini na Itália e o nacional socialismo de Adolf Hitler na Alemanha.

As convulsões sociais eram tão grandes que os Estados foram obrigados a uma intervenção mais directa, na vida económica de acordo com as soluções propostas por Keynes, com seja:

  • Desvalorização da moeda  para favorecer as exportações
  • Abertura do crédito a longo prazo e subsídios aos sectores mais atingidos pela crise
  • Empreendimento de grandes obras públicas para atenuar o desemprego, fonte instabilidade social
  • Regulação da produção, dos salários e do horário de trabalho.

As ideias de Keynes foram também adoptadas pelo presidente Roosvelt dos Estados Unidos, através do seu “ New Deal “. Porém as medidas contidas neste plano não foram suficientes para conter a crise social.

Posteriormente criaram-se os seguros de velhice, invalidez, desemprego. Estabeleceu a semana de trabalho e instituiu o salário mínimo e concedeu maior liberdade aos sindicatos. Este pacote de medidas ficou conhecido como “ Welfare State” ou Estado de providência que interveio directamente na defesa do bem-estar e da felicidade dos cidadãos, o que contribuiu para atenuar os efeitos da crise na sua população.

Nos anos 30 do século XX, assiste-se uma guerra surda entre os estados capitalistas, Inglaterra e França, os Estados autoritários, Alemanha e Itália e o Socialismo da União Soviética, em termos de ideologia política e sociológica.

O desencadear da Guerra Civil (1936-1939), serviu de “balão de ensaio” para a grande guerra que se adivinhava.

A vitória dos nacionalistas liderados pelo general Franco, com o apoio da Alemanha e da Itália, provocou em toda a Europa, o medo de mais uma guerra, e o aspecto da Alemanha Nazi, autoritária e imperialista, ser a maior potência bélica, conduziu no ano de 1939 para o inicio da II Guerra Mundial, e só terminou em 1945, com a sua rendição incondicional.

Um ano após  o fim da II Guerra Mundial morre John M. Keynes, sem dúvida  um dos maiores  economistas da primeira metade do século XX .

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *