Press "Enter" to skip to content

MAIS PORTUGUESES EM MADRID

MAIS PORTUGUESES EM MADRID
5 (100%) 2 vote[s]

Quando a vaga de emigração portuguesa está frenando, todavia há um contraciclo para Espanha, e agora há mais portugueses em Madrid.

O Ayuntamiento de Madrid revelou os dados da emigração de 2018 na capital de Espanha, e os portugueses subiram três lugares relativamente a 2017.

Em 2018 estavam registados 10.827 portugueses, o que corresponde a um aumento de 20,65% em relação ao ano anterior.

A comunidade portuguesa residente ocupa agora a 14ª posição, e é a 3ª maior comunidade europeia a viver em Madrid.

Os romenos são os europeus mais representados com 44.738 empadronados.

Já os italianos ocupam a 7ª posição com 22.229 expatriados e os franceses em 15ª posição com 10.108 empadronados.

Os romenos são também a primeira comunidade estrangeira residente na capital de Espanha.

O top 6 é ocupado por:

2) os chineses com 38.547

3) os venezuelanos com 28.129

4) os colombianos com 25.214

5) os equatorianos com 24.147

6) os marroquinos com 22.470

Em 2018 residiam em Madrid 462.343 expatriados.

Mais de 1/5 dos portugueses vivem no  estrangeiro, embora o crescimento da sua emigração tem abrandado nos últimos anos.

Em 2017 o Reino Unido continuou a ser o destino preferido dos portugueses para trabalhar. Porém, o receio das consequências do BREXIT diminuiu o fluxo de lusos para as terras de “Sua Majestade” em 26%.

Nesse ano sairam de Portugal para o Reino Unido 22.622 portugueses.

O Top 10 é ainda constituido por:

Alemanha – 17.750

França – 11.284

Suiça – 9.257

Espanha – 9.038

Luxemburgo – 3.342

Angola – 2.962

Bélgica – 2.863

Holanda – 2.127

Mocambique – 1.439

No total saíram de Portugal mais de 90.000 dos seus nacionais.

O crescimento do mercado ibérico, a necessidade de mais mão-de-obra portuguesa no sector dos serviços das empresas espanholas que operam também em Portugal, é previsível nos próximos anos o aumento da comunidade portuguesa, e em consequência: mais portugueses em Madrid.

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *