Press "Enter" to skip to content

A PENÍNSULA IBÉRICA VAZIA É UM PROBLEMA

Entre outras coisas Portugal e Espanha rios, montanhas…e problemas estruturais e demográficos. E a Península Ibérica vazia é um desses problemas a resolver.

Há um grito de revolta da chamada “Espanha Vaciada” contra o desinteresse do Estado central pelas regiões mais rurais e com menor densidade populacional.

Aliás, a densidade de Espanha está abaixo da média europeia. Espanha tem cerca de 91,06 habitantes por km2 e a Europa tem aproximadamente 120 habitantes por km2. Já Portugal está um pouco melhor com 111 habitantes por km2.

Nesta Península Ibérica Vazia, a província de Soria apresenta um maior nível de despovoamento.

Em 1900 esta província de Castilla y León tinha 155.000, e actuamente tem cerca 88.000 habitantes.

Outro problema que está inerente ao despovoamento é o envelhecimento das suas gentes.

Tomando ainda Soria como referência, que por sinal tem a maior taxa de envelhecimento da Europa. Mais de um quarto da sua população, mais concretamente 26,7%, tem mais de 65 anos.

Um dos clássicos slogan desta Península Ibérica Vazia e desta “Espanha Vaciada” é: “Terruel Existe”.

Este movimento foi um dos primeiros a reivindicar uma maior atenção para a Espanha rural, carente de investimentos e de incentivos eficientes para reter população.

Outro clássico sobre a falta de investimento nas regiões de menor densidade populacional é o exasperante “tren extremenho”.

Na realidade é um comboio digno do século XIX, e viajar da Extremadura até Madrid é uma autêntica aventura. Falta de diesel e material obsoleto fazem que uma distância de 400 Kms (o trajecto entre Badajoz e Madrid), demore quase 6 horas.

Os problemas sociais e económicos da Extremadura são praticamente os mesmos que são sentidos pela raia ibérica portuguesa.

Se Espanha como grande exemplo de despovoamento Soria, Portugal tem como infeliz exemplo o município de Penamacor.

Este município da raia portuguesa nos últimos 4 anos perdeu quase 20% da sua população.

A Península Ibérica vazia, e neste caso a Raia Ibérica vazia têm um enorme desafio comum para vencer que é criar um modelo de desenvolvimento social eficiente.

A criação das comunidades autónomas em Espanha tem abrandado a nível de despovoamento nas regiões rurais, já que algumas competências transferidas do Estado central para autonomias têm maior eficiência pois os governos regionais e os ayuntamientos conhecem melhor a sua realidade que os políticos de Madrid.

E nesse sentido, para promover uma maior e maior cooperação transfronteiriça hispano-Portuguesa, a raia portuguesa deve-se aproximar do modelo de organização político e administrativo.

Deve ser pensado de forma estratégica e criativa essa aproximação, de forma a pôr os interesses das populações à frente da burocracia inerente às estruturas político-administrativas que são criadas pelo Estado central.

Enquanto a conjugação de esforços não seja realizada de forma coordenada e competente, a Península Ibérica vazia e a Raia Ibérica Vazia esperam por melhores dias.

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *