Press "Enter" to skip to content
Dia mundial da língua portuguesa

Dia Mundial da Língua Portuguesa celebrado em Guimarães

Guimarães, a cidade-berço de Portugal, acolhe hoje o Dia Mundial da Língua Portuguesa.

Em 2009, o dia 5 de Maio foi estabelecido oficialmente pela Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) como o Dia Mundial da Língua Portuguesa. E nesse ano, durante 40ª sessão da Conferência Geral da UNESCO, em que a CPLP também é sua parceira decidiu proclamar o dia 5 de Maio como o Dia Mundial da Língua Portuguesa.

Actualmente a língua portuguesa é uma das línguas mais faladas do mundo, com mais de 265 milhões de falantes, espalhados por todos continentes. Curiosamente é a língua mais falada no hemisfério sul.

O português é língua oficial nos seguintes países: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné-Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Os días dedicados às línguas mais faladas do mundo, são de grande importância para a UNESCO, já que têm os objectivos de promover o multiculturalismo e a diversidade cultural, e ao mesmo tempo é uma forma para sensibilizar a comunidade internacional para um melhor conhecimento da história e da cultura.

O programa oficial das comemorações em Guimarães, será inaugurado por Domingos Bragança, Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Rui Vieira de Castro, Reitor da Universidade do Minho, António Sampaio da Nóvoa, Embaixador da UNESCO e Francisco Ribeiro Teles, Secretário Executivo da CPLP.

Das várias conferências que serão organizadas para enaltecer e promover a língua portuguesa, a Raia Diplomática destaca as seguintes:

“Dia Mundial da Língua Portuguesa. O papel da diáspora” por Berta Nunes, Secretária de Estado das Comunidades Portuguesas

“Mobilidade Universitária” por Judite Nascimento, Reitora da Universidade de Cabo Verde

“O Museu da Língua Portuguesa – Brasil” por Sérgio Sá Leitão, Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São paulo

“Cooperação no ámbito dos objectivos para o Desenvolvimento Sustentável“, Por Filipe Zau, Reitor da Universidade Independente de Angola.

Este dia é afinal mais um momento para enaltecer a fraternidade entre os povos lusófonos.

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.