Press "Enter" to skip to content
José Pina é o CEO de Future Healthcare

Future Healthcare: Inovação e Consolidação

O grupo Future Healthcare foi fundado em 2003. É um grupo privado internacional, com sede em Lisboa e presença em vários países do continente europeu (Portugal, Espanha, Polónia e Roménia) e também na América Latina (Equador e Colômbia).

Este grupo empresarial desenvolve soluções tecnológicas, operações e serviços para seguradoras e sistemas de saúde através de uma plataforma digital que interage com o cidadão, o prestador de saúde, empresa financeira ou seguradora.

Ao longo destes 18 anos tem vindo a reforçar a sua presença internacional, contando actualmente com cerca de 263 colaboradores (Portugal e estrangeiro), possui uma rede médica, com cerca de 36 mil fornecedores e 650 mil pessoas sob gestão.

Na entrevista à Raia Diplomática de José Pina, CEO do grupo Future Healthcare,  revelou-nos os desafios da saúde digital e como se deu a sua entrada no mercado espanhol. Também abordou a sobre sua estratégia para consolidar sua presença nos países onde atua.

A pandemia acelerou a digitalização da economia. Todavia, nas actividades de atenção mais personalizada como é o caso da saúde, não poderá haver uma redução da actividade do digital Health passada esta pandemia?

O futuro da saúde é digital. A pandemia veio acelerar, em poucos meses, a transformação do sistema de saúde para o digital, no entanto ainda há muito por desenvolver e inovar. Seguindo a tendência, de que hoje em dia o acesso aos serviços públicos, serviços bancários, de seguros, etc. é feito por via digital e, em percentagem muito significativa, através do telemóvel. Nesse mesmo sentido, o acesso a serviços de saúde tende a evoluir para uma experiência digital muito mais exigente. E o desenvolvimento do Digital Health, está a dar provas em projetos inovadores e que seguramente irão contribuir para a transformação futura dos sistemas de saúde. Além da relação entre médico e paciente através de vídeo, atividades relacionadas com o bem-estar, a prevenção e o diagnóstico estão a assistir a uma mutação pela introdução de modelos de wearables, medical devices e inteligência artificial.

A transformação digital na saúde é uma revolução que não irá parar no período pós-pandemia, mas sim continuar a transformar e a investir no relacionamento entre paciente e sistemas de saúde e melhorar o acesso e qualidade da prestação.

Em que sectores ou em que actividades na área da saúde ainda não estão devidamente digitalizados?

A tecnologia é um pilar fundamentar na nossa atividade. Estamos constantemente a desenvolver formas de relacionamento entre pacientes e prestadores (hospitais, clínicas, etc.) e a possibilitar o acesso a novos métodos de diagnóstico, de terapêutica e também de assistência aos doentes. A génese do Grupo Future Healthcare assenta numa plataforma tecnológica baseada em internet, em tecnologias na cloud. A forma de relacionamento com os clientes é digital e isso representa uma grande vantagem e uma parte fundamental do nosso futuro. Desenvolvemos técnicas que envolvem telemedicina, vídeo-consulta, diagnóstico remoto, contudo ainda existe um caminho a percorrer e uma aposta nas tecnologias focadas na eficiência e nas medidas preventivas  

O grupo Future Healthcare nasceu em 2003 em Portugal. Ao fim de quase 20 anos de actividade, como se desenvolveu o seu negócio?

Começou por ser uma sociedade de duas pessoas e em 18 anos evoluiu para um dos principais grupos de gestão de sistemas e seguros de saúde em Portugal.

O Grupo Future Healthcare, fundado em 2003, é um grupo internacional privado e independente, com sede de operações em Lisboa e com presença em vários países do continente europeu (Portugal, Espanha, Polónia e Roménia) e também na América Latina (Equador e Colômbia).

Ao longo destes 18 anos, fomentou a sua presença ao nível internacional, tendo atualmente cerca de 263 colaboradores (Portugal e estrangeiro), detém uma rede médica, com cerca de 36 mil prestadores e 650 mil pessoas sobre gestão.  

A sua missão consiste em proporcionar aos seus clientes acesso às melhores condições de saúde, vida e bem-estar, e para tal disponibiliza aos seus Clientes Corporativos soluções personalizadas associadas a um Seguro de Saúde, Vida ou Sistema de Saúde. Toda a operativa está assente numa plataforma tecnológica própria, totalmente digital e na cloud, que poderá ser customizada à imagem e processos de cada um dos nossos clientes corporativos.

Assim, alinhando as competências principais – medicina, gestão de risco, tecnologias da informação e distribuição de serviços financeiros – pretende criar valor, inovação e competitividade.

Actualmente quais são os principais serviços que presta o grupo Future Healthcare?

O Grupo Future Healthcare desenvolve soluções de tecnologia, operações e serviços para seguradoras e sistemas de saúde através de uma plataforma digital que interage com o cidadão, com o prestador de saúde e com o financiador ou seguradora. Desta forma, procura maximizar a eficiência deste ecossistema e com isso melhorar as condições de saúde dos seus clientes, capacitando e apoiando escolhas que potenciem o seu estado de saúde e bem-estar, com impacto real na qualidade de vida.

Desenvolve e operacionaliza produtos e serviços inovadores e competitivos, em parceria com os Clientes Corporativos de forma a garantir a flexibilidade e a personalização que cada um exige.

A inovação tecnológica é fundamental para estar na direcção certa. Qual é o impacto da aceleração da digitalização da economia na criação de novos productos?

Em Dezembro de 2019 este grupo empresarial entra em Espanha através de uma aliança estratégica com REDSA, com a criação de uma nova empresa – REDSA Future Healthcare.

A entrada em Espanha deu-se por que o país vizinho é um mercado natural para as empresas portuguesas ou por que houve uma boa oportunidade de negócio?

A possibilidade de aquisição de uma empresa em Espanha, a Redsa, surgiu por terem sido identificadas oportunidades concretas de mercado. Existe uma perspetiva de expansão ibérica principalmente por parte de empresas de determinados sectores de atividade, como a banca, os seguros e, numa menor escala, também na saúde, pelo que temos consciência de que fizemos um movimento não tão natural, uma empresa portuguesa a realizar a expansão da sua atividade com uma aquisição em Espanha. No entanto, acreditamos que a longo prazo será seguramente uma excelente oportunidade de negóci

O grupo Future Healthcare está presente na Península Ibérica (Portugal e Espanha), Europa Central (Suiça), Europa de Leste (Polónia e Roménia) e na América Latina (Colômbia e Equador). Porquê esta estratégia de internacionalização geograficamente muito dispersa?

O nosso critério de seleção dos mercados alvo da nossa internacionalização consistiu em três fatores muito simples: em primeiro lugar, são países em regiões com forte crescimento económico, com um histórico recente de desenvolvimento muito significativo. Em segundo lugar, são países com uma dimensão populacional bastante superior à de Portugal, o que significa que o potencial de expansão da nossa atividade é superior ao que verificamos em Portugal. E finalmente, em terceiro lugar, são países onde os sistemas de saúde públicos e os sectores de seguros de saúde não têm a maturidade que se verifica em Portugal ou Espanha, o que significa que a nossa tecnologia e as nossas operações têm possibilidade de criar um valor social bastante significativo.

Julgo que existe em Portugal e em Espanha pouca noção do nível de desenvolvimento que têm os seguros de saúde e os sistemas públicos de saúde nos nossos países. Seguramente temos oportunidade de ajudar nesse processo de desenvolvimento noutras geografias

Os países com forte presença de emigrantes portuguesa (à excepção da Suiça) não são atrativos?

Alguns destes países são atrativos mas, só por si, a presença de emigrantes portugueses não é fator determinante. Normalmente os países com maior emigração portuguesa – França, Alemanha, EUA, etc. têm sistemas de saúde que abrangem satisfatoriamente a população imigrante nesses países.

Que outros projectos  tem em mente?

Nesta fase da vida do Grupo FH, em que comemoramos 18 anos, estamos mais preocupados em consolidar as nossas operações nas duas áreas que já referi anteriormente: a internacionalização nos 5 países em que iniciámos atividades, além de Portugal, e a área de Digital Health, a qual acreditamos irá ser uma área transformadora dos sistemas de saúde no futuro. Estas duas linhas de investimento serão o nosso foco nos próximos anos.

O lema da Future Healthcare é “Proporcionar aos nossos clientes acesso às melhores condições de saúde, vida e bem-estar”. Como se consegue alcançar esta missão?

Temos conseguido alcançar esta missão através da compreensão do que é um Sistema de Saúde. Poucas áreas de atividade terão uma diversidade tão grande de actividades: actividade médica e hospitalar, tecnologias de diagnóstico, inovação, farmacêutica, além das atividades de financiamento – a saúde não é gratuita, como sabemos, e o equilíbrio financeiro dos sistemas e seguros de saúde são fundamentais.

Nesse sentido, acreditamos que contribuímos para a melhoria das condições de saúde, vida e bem-estar se conseguirmos gerir da forma o mais eficiente possível este ecossistema tão complexo: cliente, prestador de serviços de saúde e sistema de financiamento, centrando a atividade na busca das melhores condições de saúde, vida e bem-estar para as Pessoas nossas clientes.

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.