Press "Enter" to skip to content

Hidrogénio Verde: O Caminho para um Futuro Mais Renovável

Sendo o Hidrogénio uma das vertentes mais apostadas atualmente no mundo renovável, surge a grande necessidade de entender melhor o conceito de Hidrogénio Verde, cada vez mais presente no quotidiano de vários países desenvolvidos.

O Hidrogénio Verde é o hidrogénio gerado através de um processo peculiar – a Eletrólise. Este processo baseia-se na utilização da corrente elétrica provocada pela água, de modo a obter o hidrogénio do oxigénio existente neste elemento.

Apesar de existir uma forte aposta desta fonte de energia na economia global, nos últimos anos, ainda estamos perante a construção de um período de ascensão consistente do Hidrogénio Verde a longo prazo. Paralelamente, torna-se imperativo combater o desgaste causado pelas emissões de dióxido de carbono no Planeta Terra.

O Hidrogénio Verde em Portugal

Portugal tem mostrado uma ação bastante ativa no que diz respeito às energias renováveis, com especial ênfase no Hidrogénio Verde. Dada a sua localização privilegiada na Europa, Portugal dispõe de condições meteorológicas bastante favoráveis, bem como dispõe de acessos facilitados a elementos que possam ser utilizados para gerar Hidrogénio Verde – eólica e hídrica.

Não obstante, fazendo parte da União Europeia e de Acordos internacionais que visam os interesses nacionais, europeus e internacionais relativamente às alterações climáticas, a potência portuguesa tem apostado fortemente no investimento de Hidrogénio Verde, a partir de injeções económicas e de apelos para impulsionar a projeção do Hidrogénio Verde.

Aliado ao fator alterações climáticas, está, efetivamente, a economia, do qual também favorece com a aposta no Hidrogénio Verde. Acontecimentos como a COVID-19, crises económicas e a mais recente Invasão na Ucrânia, despoletaram ainda mais a necessidade de Portugal se tornar cada vez mais independente no fator energia e, consequentemente, na sua obtenção.

 O Hidrogénio Verde em Espanha

É do conhecimento geral que Espanha é um dos países pioneiros da Europa no que diz respeito as energias renováveis e o setor energético. Sendo sede para muitas multinacionais e empresas do setor energético (Endesa, Repsol, Iberdrola, entre outras), a potência espanhola está cada vez mais ciente da importância da sustentabilidade para o seu território e, consequentemente, para o resto da Europa. Assim, o Hidrogénio Verde tem sido um tema crescente.

Espanha dispõe de condições meteorológicas impressionantes para a aposta desta energia, sendo os elementos sol, água e vento os mais valorizados para esta fonte de energia renovável.

No que concerne a questão de descarbonização, Espanha é um dos países que está na linha da frente para a sensibilidade desta questão, do qual se verifica a sua presença em diversas iniciativas e acordos dentro da União Europeia.

O tópico Economia também é deveras importante para a aposta de Hidrogénio Verde em Espanha, uma vez que as oportunidades intrínsecas deste processo químico despoletam grandes melhorias a nível do crescimento da economia do país e da exportação desta fonte de energia renovável mundo fora.

A Península Ibérica e o Triunfo do Hidrogénio Verde

É certo que Portugal e Espanha são duas potências bastantes promissoras no que toca o Hidrogénio Verde e as Energias Renováveis na sua generalidade. O facto de serem vizinhos e comporem a Península Ibérica torna-os em aliados diretos no setor energético.

Este interesse comum no Hidrogénio Verde permitiu uma aproximação bastante pertinente da Península Ibérica, bem como na sua valorização dentro da esfera europeia e mundial, dando origem a projetos bastante aliciantes e promissores.

O conhecido “Corredor de Energia Verde” entre Portugal e Espanha conta com a participação de França, visto a grande vontade e aposta de Hidrogénio Verde Nuclear por parte da França. Sendo França, nos últimos tempos, ativista no que diz respeito esta vertente de Hidrogénio Verde, esta mesma tem apoiado e apelado à união de vários países europeus no investimento comum desta fonte de energia mais sustentável.

O Projeto Green H2 Atlantic, que conta com a participação de vários países europeus (Alemanha, França), entre eles a forte participação e peso de Portugal e Espanha, permitiu o impulsionamento da concorrência da Península Ibérica, visto que a sua base física se situa no porto de Sines, em Portugal. Esta presença em território português impulsiona uma sede crucial para a criação e fornecimento de energia, bem como dá a conhecer o forte potencial de Portugal.

O Projeto H2Med, que também conta com a participação de Portugal, Espanha e França, apresenta um objetivo desafiante para 2030 – ser o primeiro grande corredor de Hidrogénio Verde operacional na Europa. Este objetivo será selado com o impulsionamento da criação de um gasoduto que ligará Portugal (na zona Celorico da Beira) e Espanha (na zona Zamora) e consequentemente com a criação de um gasoduto marítimo que ligará Espanha (Barcelona) e França (Marselha).

Todo este processo facilitará o transporte desta fonte de energia, fundamental para a exportação da mesma a nível europeu e mundial.

Ana Isidoro

Be First to Comment

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *