Press "Enter" to skip to content

Posts published in “Bruno Caldeira”

A Ausência da Grande Política Internacional

No final de 2021 o tempo político de Angela Merkel tinha terminado. Na Alemanha era carinhosamente apelida de “mutti” (mãezinha), já na agora o seu legado é mais difuso. Continuará a Europa estar numa ausencia da grande política internacional? Históricamente o inicio do declinio da Europa como centro do Mundo ocorreu com o fim da II Guerra Mundial. Depois da sua reconstrucção material e moral,…

Escrever uma nova identidade

De alguns anos a essa parte faço sempre uma menção no dia 1 de Junho, à celebração da carta foral de Bemposta do Campo. Mas está na altura de alterar tudo isto, e até mesmo de escrever uma nova identidade. Escrever uma nova identidade não significa rasurar todas as sensações e emoções que foram sentidas durante todos estes anos. Imaginar e pensar uma nova identidade…

As Organizações Internacionais e Moçambique

A inércia da Comunidade Internacional e a ineficácia das organizações internacionais devem repensar o modelo vigente como o mundo está políticamente organizado. E Salvar Cabo Delgado é um objectivo imediato e crucial para o mundo. Moçambique não tem sorte. Depois de uma guerra de independência contra o colonialista Portugal, uma atroz guerra civil, tensões sociais e políticas constantes, desastres naturais, e agora o Daesh. Infelizmente…

O Perigo Efectivo do Populismo

A História tem vários exemplos de movimentos populistas que lograram os seus objectivos. E no passado mês de Janeiro verificamos o perigo efectivo do populismo. As sociedades actuais revelam ao segundo as façanhas do seu indivudualismo. Hoje, o egocentrismo digital está na moda. A política como actividade humana, o egocentrismo sempre esteve presente nas suas acções. Aliás, quem conhece um pouco dos meandros do funcionamento…

A REPUGNANTE EUROPA E A INGENUIDADE

Os tempos passam, os anos se consomem e a repugnante Europa se destaca, quando os seus valores fundamentais se esfumam. Jurgen Habernas tem uma importante observação sobre a bipolaridade dos direitos ao referir: “como Janus os direitos têm duas faces: uma moral e outra jurídica. (1) Um dos últimos Conselhos Europeus extraordinário também esteve muito bipolarizado. A Europa do sul que defende os eurobonds (a…

A FALTA DE CONSCIÊNCIA GLOBAL E O COVID 19

O mundo assistia serenamente e quase indiferente à expansão abrupta do covid-19 na China. Apesar dos avisos da Organização Mundial da Saúde (OMS), a falta de consciência global foi tremenda. Por saturação do discurso do politicamente correcto, o facilitismo que a internet e os seus serviços oferecem, a comunicação instantânea e o stress que os cidadãos da geração 4.0 ou 5.0 estão sujeitos, alguns valores…

OS EQUÍVOCOS DO TSUNAMI DEMOCRATIC

Muitas vezes o uso do “copy and paste” nas relações sociais e no âmbito da política pode ter um resultado inesperado. E os equívocos do Tsunami Democratic estão à vista. Este “copy and paste” das manifestações de Hong Kong para a Catalunha, como é evidente não podia ter o mesmo resultado. As razões de índole social e política fizeram crescer os equívocos do Tsunami Democratic.…

QUO VADIS EUROPA?

Por altura da discussão do projecto do Tratado Europeu, a azáfama era muita. Era o tempo do mediático lema “integração europeia”. Mas hoje, questionamos: Quo vadis Europa? Ao fim de quase duas décadas verificamos uma desconstrução europeia. E essa desconstrução tem como exemplo maior o Brexit. Quo vadis Europa? Anteriormente todos os sonhos e utopias podiam ser imaginados. Havia quem falasse e reflectisse sobre uma…

A MENSAGEM SUBLIME DA REVOLUÇÃO DOS CRAVOS

Como dizia a canção de João Mário Branco “mudam-se os tempos mudam-se as vontades”, e hoje a mensagem sublime da Revolução dos Cravos não se pode desvanecer nas brumas do tempo. Talvez a Revolução dos Cravos, a portuguesa, seja de todas as revoluções a mais romântica, parecendo mesmo que saiu de alguma produção de Holywood. Várias cenas cómico-hilariantes foram realizadas pelos Capitães de Abril. Um…

O MISERÁVEL ESQUECIMENTO

Quando a nossa capacidade de recordar não está bem, o esquecimento é uma constante da vida. Pior que o esquecimento patológico, é só mesmo o político: esse miserável esquecimento. A vida humana e as suas vicissitudes podem transformar o desenvolvimento dos países, das cidades e das suas populações. Tal situação ocorreu com a cidade de Madrid, quando em Junho de 1561, Filipe II mudou a…

A COMUNIDADE IBÉRICA: RELATOR, DELÍRIO OU NECESSIDADE

Em 2013 cheguei a escrever um pequeno ensaio sobre um maior estreitamento nas relações luso-espanholas denominado: A Comunidade Ibérica: o federalismo espanhol e Portugal. Para muitos a união, a federação ou a comunidade têm o mesmo significado. Os mais distraídos poderão pensar que todos esses termos estão ligados com o iberismo. Nos últimos anos, a corrente iberista (aquela que defende o unionismo ou o federalismo…

O KEYSIANISMO

É designado por keynesianismo o conjunto de doutrinas formuladas pelo economista inglês John Meynard Keynes. Ideias estas que propunham a intervenção estatal na vida econômica com o objetivo de conduzir a um regime de pleno emprego. As teorias de Keynes tiveram enorme influência na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política de livre mercado. Acreditava que a economia seguiria o caminho do pleno…

O CONTEXTO HISTÓRICO NA VIDA DE KEYNES (III)

A afluência em massa aos teatros e cinemas, a idolatarização de novos heróis, o consumo exagerado, a superprodução, o desequilíbrio na distribuição da riqueza e a especulação bolsista foram os ingredientes necessários para a crise mundial que se adivinhava. Porém, a crise de 1929 se iniciou na bolsa de Wall Street, em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América, e propagou-se por todo mundo, e…

O CONTEXTO HISTÓRICO NA VIDA DE KEYNES (II)

Até ao Século XIX, as crises foram exclusivamente de subprodução, resultando de maus anos agrícolas, guerras prolongadas e o aumento populacional a ritmo superior aos recursos existentes. A partir dessa altura, as crises económicas passaram a ser de superprodução, e quase todas provocadas por erros ou ausências de provisão. Graças à revolução industrial, ou seja, aos seus incrementos tecnológicos, produz então, uma explosão demográfica, em…

UM GRANDE ELOGIO AOS BRITÂNICOS

O BREXIT e o desenvolvimento deste processo político têm originado acesas discusões diplomáticas. Mas a coragem dos britânicos para referendar o seu destino merece ser dado um grande eleogio aos britânicos. Há cerca de três anos numa conversa com o Gazanfer, referiu-me algo com “…in Europe…” (confesso que o teor do nossa diálogo já não me recordo), suscitou-me alguma curiosidade pelo que perguntei-lhe de imediato…

REPÚBLICA E INDEPENDÊNCIA EM DISPUTA

Na sociedade e na vida política de Espanha, o simples mencionar de duas palavras: “República” e “Independência” tem o condão de disputar acesas guerras dialécticas. Em Portugal, República e Independência também estão em disputa. Portugal ao contrário de Espanha, é um Estado-nação, ou seja, a base da constituição do Estado português foi feita por um só povo: o português. Todavia, apesar dessa sua coesão que…

OS HERÓIS DE MALACA

Em 2011 celebra-se os 500 anos da conquista de Malaca pelos portugueses. Todavia, foi efectivamente, no ano de 1510 a data da chegada dos homens de D. Afonso de Albuquerque, àquela que era considerada a “Veneza” do sudoeste asiático, pois o seu porto era frequentemente visitado por mercadores vindos do Japão, China, Filipinas, Molucas, Pérsia, Malatar, Arábia e até de África. A sua situação geoestratégica…

OS HERÓIS DE MALACA NUNCA MORREM!!!

A mitologia ensina-nos que os heróis  estão entre os deuses e os homens comuns. Felizmente, apesar de uma crescente desumanização nas relações sociais, vão sempre aparecendo exemplos de heróis. E um desses exemplos está na Malásia: os Heróis de Malaca que nunca morrem. Apesar de nunca ter estado no Oriente, esse grande espaço geográfico sempre   fascinou-me. A principal fonte foi e continua a ser a…

LISBOA, MADRID E BARCELONA – O GRANDE EIXO IBÉRICO

Se traçarmos uma linha que parta de Lisboa, que passe por Madrid e que termine em Barcelona, verificaremos que o mapa da Península Ibérica fica dividido em duas partes. Essa fronteira, não sendo científica, é certa, corresponde à influência climatérica do Atlântico para ocidente, e do Mediterrâneo para oriente. Contudo, esta peculiar pequena observação tem muitos outros pontos de interesse. Em primeiro lugar fazem parte…

O PAÍS DO CATAVENTO

Recentemente foi apresentado mais um manifesto a favor do desenvolvimento regional. Mas será que há vontade para dar a volta ao país do catavento? O Movimento pelo Interior é encabeçado por Álvaro Amaro, presidente da Câmara Municipal da Guarda, onde apresenta 24 propostas para transformar o ostracizado interior que “dança” ao som do país do catavento. Não tirando o mérito das boas intenções deste movimento…